Número total de visualizações de página

terça-feira, 24 de julho de 2007

Fim da Bioconspiração Líbia....


Ao fim de oito anos, as cinco enfermeiras búlgaras e um médico palestiniano, condenados à morte por terem “deliberadamente”(!) infectado crianças líbias, ganharam a liberdade, depois de ter sido comutada a pena de morte pela prisão perpétua. Assim que chegaram à Bulgária, o presidente Georgi Parvanov concedeu-lhes de imediato o “perdão”, terminando uma das mais negras páginas do terrorista líbio Kadaphi.
Graças a Deus que terminou este pesadelo para os profissionais de saúde...

6 comentários:

Anónimo disse...

Oportuno este apontamento meu caro Professor.
Ocasião para lembrar que no Portugal europeu não há muito tempo existiu quem ousou pretender acusar a Drª Leonor Beleza e a sua mãe, essencialmente do mesmo!
Eram, relembro, a Ministra da Saúde e a Secretária-Geral do Ministério...

Pinho Cardão disse...

...Com inteira concord�cia, e n�o sei se aplauso, do Minist�rio P�blico, que recorreu sucessivamente.

Inês disse...

Vá-se lá saber como, que me lembre, foi esta a primeira vez que visitei este blog. Para ficar agradavelmente surpreendida. Achei muito interessante e sem dúvida que voltarei.

Anónimo disse...

Volte sempre, Inês.

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Caro Professor Massano Cardoso
Ainda bem que lembrou este desfecho.
Acabou finalmente o calvário das enfermeiras búlgaras e do médico palestiniano, que durante oito anos estiveram às mãos dos carrascos comandados pelo terrorista Kadaphi.
Não sei imaginar o horror a que estas pessoas foram sujeitas...
Respiro de alívio pela sua libertação e de desejo que todos consigam "refazer" a sua vida!

Suzana Toscano disse...

Muito bem lembrado, ferreira d'Almeida, foram anos e anos de tormentosos processos, de dúvidas cirurgicamente reavivadas sempre que Leonor Beleza, com a sua indomável coragem,punha a cabeça de fora. E não acabou como devia, com a clara declaração de inocência, mas com a prescrição do processo...