Número total de visualizações de página

domingo, 15 de julho de 2007

Imposturas

"O Presidente da França teve uma posição muito corajosa quando disse que não haveria razões para se fazer um referendo, se não houvesse um tratado constitucional." - Sócrates dixit nas comemorações do 14 de Julho, dia da nação francesa.
Afinal Sarkozy já sabe qual o conteúdo do tratado e já decidiu que não há referendo. E Sócrates, a quem foi conferido o mandato de o elaborar, não sabe?!
Cada vez que o senhor Primeiro-Ministro é obrigado a pronunciar-se sobre a ratificação, torna mais claro que a promessa de referendar o novo tratado foi, afinal, uma impostura que nem o contexto pré-eleitoral em que foi feita, desculpa. E constitui mais uma machadada na credibilidade interna dos dirigentes políticos, que a bem dizer em nada parece preocupar o chefe do Executivo, notoriamente hipnotizado pela investidura nas funções de refundador da Europa.
Fazer-nos crer que não tem uma posição tomada e que só se pronuncia sobre a forma da ratificação quando conhecer o conteúdo do tratado - querendo fazer de nós estúpidos, ingloriamente, como no futuro se verá - é uma impostura muito maior.
Sobre este mesmo assunto, subscrevo (com a devida vénia) e sublinho este clarividente post do cmonteiro, no Tonibler.

2 comentários:

Pinho Cardão disse...

Mais uma assinatura na lista!...

Tonibler disse...

Mais preocupante que o primeiro-ministro não vá cumprir uma promessa (pfff...outra?), é que não a vá cumprir por lambebotismo.