Número total de visualizações de página

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

A culpa é da crise?

- no Jardim Botânico Tropical no Verão de 2011, a cor da água confunde-se com a cor da relva -

Sou visita habitual do Jardim Botânico Tropical. Fica perto do bairro onde vivo e sabe-me bem ir até lá admirar e contactar com a natureza, respirar ar puro, fazer exercício percorrendo os caminhos do jardim, há sempre mais alguma coisa para descobrir. É de facto um jardim lindíssimo, que reúne centenas de espécies vegetais, frondoso pelas árvores e arbustos tropicais que o decoram e recortado com muito bom gosto por belos lagos, caminhos e estufas artísticas, sem esquecer a variedade de patos e os imponentes pavões. Faz pena assistir à degradação dos jardins ex-líbris de Lisboa. São espaços fundamentais de bem-estar e qualidade de vida, mas constituem também património natural, histórico, cultural e turístico que se perde. Será assim tão difícil encontrar uma saída para reunir recursos que assegurem a manutenção destes jardins? Gasta-se tanto dinheiro mal gasto! A culpa é da crise?

5 comentários:

Tonibler disse...

Não há dinheiro para o jardim mas o IICT gastou uma boa quantidade dele, ao que sei, a patrocinar uma exposição da filha do J. Braga de Macedo. Naturalmente, não há dinheiro para tudo, pelo menos do meu.

(c) P.A.S. Pedro Almeida Sande disse...

Margarida coloca muito bem a questão: a culpa é da crise? Que crise? A falta braçal ou a crise de valores e consciências?

Numa sociedade de desperdício de recursos humanos como a nossa, custa pensar que não há um dos 700.000 desempregados que possa agiornar as suas mãozinhas para dar nova imagem ao jardim tropical - com umas horinhas de trabalho suplementar.

É esta falta de empenho mínimo nacional, esta anomia castradora e castrante, que faz com polícias só trabalhem com os chamados remunerados, que PR's tenham a língua e os braços caídos - exceptuando a queixa miserabilista da percepção de 8000 € (que elites tão mesquinhas e miseráveis!)... que faz de Portugal um país que podia ser, mas não é.

Bmonteiro disse...

Não fosse a falta de paciência,
já teria tentado telefonar à directora.
Há no alto de Monsanto, um estabelecimento prisional.
Será preciso rever a Constituição, para que ali se encontre meia dezena de presos que prefiram passar os dias ao ar livre e numa actividade saudável?

Suzana Toscano disse...

A culpa é do desleixo, Margarida, se a crise não nos deixa gastar muito devíamos cuidar do que custa pouco e valoriza o que temos.

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Caro Tonibler
O dinheiro não dá para tudo, nunca dá para tudo, há sempre escolhas a fazer, por isso deveria ser criteriosamente gasto e escrutinado...
Caro Pedro Almeida Sande
É o resultado da falta de intervenção cívica, que o Estado se encarregou, com o seu poder intervencionista, de atrofiar. Falta-nos cultura de cidadania. Aliás, muita gente não faz uma pálida ideia do que é...
Caro Bmonteiro
Custa a crer que a Constituição não permita que os reclusos possam fazer trabalho cívico. Há estabelecimentos prisionais em que é fomentado o trabalho cívico a favor da comunidade. No estabelecimento de Setúbal os reclusos cultivam hortas "solidárias", os produtos são entregues ao Banco Alimentar Contra a Fome.
Suzana
A crise do deleixo vem de longe. A culpa de tudo e mais alguma coisa é da crise financeira ou da troika. Gostamos de nos enganar a nós próprios, depois admiramo-nos de não evoluir.