terça-feira, 21 de Fevereiro de 2006

Intimidação

Na sequência de uma conversa com um amigo jornalista acabei por reforçar a minha opinião sobre o crescendo de intimidação e limitação da liberdade de expressão que começa a ocorrer entre nós. Oficialmente vivemos num país livre, mas já foi mais livre. Os recentes acontecimentos ocorridos com um diário, o número de jornalistas que têm de se sentar no mocho acusados de crimes devido às suas actividades, a intimidação encapotada de natureza profissional ou económica a que muitas pessoas estão sujeitas, a proibição imposta sem qualquer pejo por altas autoridades para não comentarem determinados acontecimentos, o conluio e a subjugação voluntária de verdadeiros cata-ventos que conseguem estar sempre bem com deus e o diabo, a pressão de ameaça com a própria comunicação social pondo em causa a honestidade e a verticalidade de um cidadão que, num ápice, pode desaparecer, a fuga ao debate e às responsabilidades abrigando-se em silêncios comprometedores mas garantindo postos sociais e económicos vantajosos, o medo viscoso utilizado por mentes menos sãs, enfim, tudo isto e muito mais coisas constituem uma realidade que há poucos anos seria impensável.
Ao cidadão começa a ser fornecido não aquilo a que tem direito mas aquilo que é mais conveniente, não para ele, mas para os interesses de alguns que deste modo conseguem dominar e impor regras muito próprias. A espontaneidade dos comentários ainda vai acabar por ser substituída por silêncios amarelados ou por frases ocas e adocicadas de adjectivos subservientes.
A verdade como expressão de superioridade começa a apagar-se e a ser substituída por um cinismo de conveniência.

9 comentários:

just-in-time disse...

Prof. Massano Cardoso
Estamos entre a situação recente em que, com algumas palavras pouco justificadas era possível destruir uma personalidade, e aquela em que afirmações menos seguras podem suscitar consequências gravosas para os seus autores. Esperamos que se consiga encontrar ojusto equilíbrio sem muitos danos ,nem muitas iterações.

Katia Rebarbado d'Abreu disse...

As 10 Leis da Blogosfera, de acordo com Arrebenta

O tema ainda me interessa menos do que a Irmã Lúcia, mas aproveito, já que uma figura menor, como Pacheco Pereira, parece provocar, através das suas banalidades, tanta polémica, aproveitar as banalidades dele, para atear ainda mais incêndios.

As Leis da Blogosfera, de acordo com Arrebenta:

1ª Lei) Tudo o que não é publicado no "Abrupto" ou é contraditório, ou rapidamente se revela uma ignóbil contradição.

2ª Lei) A ferocidade dos comentários é directamente proporcional ao estrago que o "post" provoca no Sistema, e é geralmente fruto de anónimos bloguistas, com nomes realmente sonantes na obscena hierarquia desse Sistema.

3ª Lei) A esmagadora maioria dos temas, comentários, reacções, alinhamentos e posições é sintomática do estado de atraso e iliteracia do país de onde provêm.

4ª Lei) Tudo que não se insere no anterior, deve ser rapidamente abafado, através de comentários anónimos, violação de blogues, intimidações, e profanação de computadores e caixas de correio.

5ª Lei) A Blogosfera tem horror de pachecos pereiras.

6ª Lei) O carácter lúdico dos blogues diminui à medida que se aproxima dos verdadeiros temas gangrenosos da nossa sociedade.

7ª Lei) As Sociedades Secretas que nos governam na sombra estão em assanhada disputa pelo espaço (ainda) livre do Discurso Blogosférico.

8ª Lei) Tudo o que devia aparecer na Blogosfera deveria cumprir as regras, submissões e compadrios vigentes na Atmosfera, o que, graças a deus, ainda não acontece.

9ª Lei) Na Blogosfera, o lixo de Pacheco Pereira só atrai lixo ainda mais lixo do que o lixo de Pacheco Pereira. Todo o restante é publicado -- imagine-se -- sem nunca pensar em Pacheco Pereira, ou, sequer, saber de quem se trata, ou do que ele escreve, ou pensa.

10ª Lei) Não se ponham a pau, e brevemente só haverá lugar, neste espaço de sombras, para as rebarbadas de perna-aberta do costume, vidé, marias elisas domingues, pachecos pereiras, marcelas, luíses delgados e quejandos.
Disse.

Antonio Almeida Felizes disse...

..

A liberdade de expressão é um direito da sociedade. Talvez seja a mais essencial das liberdades democráticas - a liberdade de expressar idéias como instrumento para preservar todas as demais liberdades.

Cumprimentos,
AAF
http://regioes.blogspot.com
..

a.leitão disse...

Assim se justificam os Blogs mesmo com muita asneira à mistura.

Anthrax disse...

Caro Leitão.

A existência de um blog não precisa de justificação alguma. Pode existir só porque sim, com ou sem asneiras. Essa é apenas uma questão qualitativa que varia em função das paixões de cada um, nada mais.

Agora a questão que o Prof. Massano expõe, é muito mais profunda do que isso. É uma questão de princípio. Ou é branco, ou é preto. Não há cinzento e não há cinzento porque quando se entra no plano dos princípios, eles ou existem ou não existem, não vão existindo consoante for conveniente ou não.

No caso da liberdade de expressão e da defesa da mesma, não pode haver um peso e duas medidas. Quem defende a liberdade de expressão e depois começa a impôr regras e a fazer excepções, está simplesmente a negar o princípio que defende.

O que aconteceu na redacção daquele jornal diário foi, no mínimo, escabroso. Os jornalistas desempenharam o papel deles que é, divulgar. Incompetentes, são aqueles que não conseguiram detectar e impedir a fuga de informação que podia ser, eventualmente, prejudicial para alguém. Esses sim, não fizeram o seu trabalho e por isso, não só são incompetentes, como também irresponsáveis e incapazes de analisar informação.

bota disse...

a repressão chegou a muitos países onde os blogs foram livres. depressa chegará por cá.
por onde pensam vocês passam as lindas frases que por aqui são arrotadas diariamente?

just-in-time disse...

Tivémos aqui um pequeo "bug".
Enviei um comentário ao Prof.Massano Cardoso que não apareceu e em vez dele aparece a minha assinatura sobre o que está acima.
Concordo com ele, mas não quero usurpar a sua autoria.

Anthrax disse...

Caro bota,

Isso, meu amiguinho, é algo que vou gostar de ver. Até porque é sempre interessante ver a volta legal que dão à coisa, por alguém escrever o que quer que seja, num espaço adquirido num servidor fora do território nacional e sujeito às leis e jurisdição de um tribunal estrangeiro. É claro que como diriam os "amaricanos" "Where there is a will, there is a way", logo há que nunca substimar a criatividade dos moços.

Pessoalmente, acho que isso deve ser o delírio de muitos advogados que trabalham na área do Direito Internacional Privado.

Tirando isso, o pessoal curte «buézes» frases lindas. Nós vivemos de frases lindas. Sem frases lindas, nós não éramos ninguém. Éramos umas pessoas tristes, deprimidas e gastávamos o dinheiro ao Estado Português em consultas de terapia.

Para concluir deixe-me dizer-lhe que algumas pessoas dentro e fora da blogosfera, são portadoras de um Q.I. superior ao de uma amíba, pelo que frases como: "por onde pensam vocês passam as lindas frases que por aqui são arrotadas diariamente?", poderão suscitar algumas gargalhadas muito divertidas em quem tem uma noção, mesmo que básica, sobre como funciona uma rede.

Virus disse...

Perante tudo o que se tem vindo a passar apenas posso dizer que havia muito mais honra entre os homens da PIDE durante o Estado Novo, do que existe agora no Ministério Público e na PJ numa sociedade dita livre... ao menos nessa altura sabia-se quais eram os limites e as regras!

Agora dizem-nos que somos livres e depois caem em cima de quem demonstra essa liberdade à menor "ameaça" aos poderes instituídos... Grande liberdade esta... somos livres... desde que não questionemos o sistema!

http://blasfemias.net/