sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2006

Memória curta...

... ainda não passou um ano e este Goveno e o PS continuam a surpreender.
Ficámos agora a saber pelo Público que afinal já são favoráveis à existência de parcerias na gestão de algumas áreas protegidas.
Depois de em 2002 se terem oposto ao processo de descentralização que deu às câmaras municipais competências na nomeação das comissões directivas das áreas protegidas, através de parecer prévio vinculativo e de no ano passado terem revogado este diploma de 2002, agora vêm exortar as virtudes das parcerias com o poder local.
Será genuíno?
Ou será falta de dinheiro?

1 comentário:

JM Ferreira de Almeida disse...

Se me sobrar paciência ainda vou à procura de alguns dos discursos parlamentares do hoje ministro da presidência Pedro Silva Pereira, o "ambientalista" de serviço no grupo parlamentar do PS naqueles tempos, em que se diabolizava a participação dos municípios na gestão das áreas protegidas. Cheguei a ouvir que tal significaria "meter a raposa na capoeira"...
Como o Vitor bem recorda, das primeiras coisas que este governo fez foi a revogação do diploma que permitia este envolvimento.
Quanto à razão de ser, não será conversão genuína nem falta de dinheiro. É hipocrisia da mais destilada, exibida impunemente e com o silêncio cúmplice de tantos que então fizeram coro com o PS na reprovação do que agora aplaudem.

http://blasfemias.net/