sábado, 4 de Fevereiro de 2006

ORAÇÃO AO CADÁVER DESCONHECIDO

Enviaram-me o “Código de Ética do Estudante de Medicina”. Do código, destaco a


ORAÇÃO AO CADÁVER DESCONHECIDO



Aquele sobre cujo peito não se derramaram lágrimas de saudades,
sobre cujo ataúde não se jogaram flores,
de cujo nome não se soube,
sobre cujo feitos não se escreveu a historia,
mas cuja lembrança, em nós, haverá de ser eterna como a
saudade,
grande como altruísmo,
eloqüente como o seu gesto,
dando tudo à mesma humanidade
que tudo lhe negou em vida.



Autor desconhecido
( Transcrito do mural do Laboratório de Anatomia da UFRN)

Cortesia do Prof. Armando Bezerra

1 comentário:

New Freemium Global disse...

Prefiro esta:

Ao curvar-te com a lâmina rija de teu bisturi sobre o cadáver desconhecido, lembra-te de que este corpo nasceu do amor de duas almas; cresceu embalado pela fé e esperança daquela que, em seu seio, o agasalhou, sorriu e sonhou os mesmos sonhos das crianças e dos jovens; por certo amou e foi amado e sentiu saudades dos outros que partiram, acalentou um amanhã feliz e agora jaz na fria lousa, sem que, por ele, se tivesse derramado uma lágrima sequer, sem que tivesse uma só prece. Seu nome só Deus o sabe, mas o destino inexorável deu-lhe o poder e a grandeza de servir a humanidade que por ele passou indiferente (Oração ao Cadáver Desconhecido, Karel Rabistansky, 1976).

http://blasfemias.net/