quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2006

Os estatutos do PSD - IV

Image hosting by Photobucket
... o sempre-em-pé.
Um boneco simpático que me recorda algumas das figuras do dito aparelho do PSD.
Foram balsemistas, motapintistas, cavaquistas, nogueiristas, marcelistas, barrosistas, santanistas. Agora são mendistas.
Estão sempre em pé!
Não se lhes conhece o pensamento. Só dizem aquilo que acham que os outros gostam de ouvir.
E andam sempre por aí!
Como é que uma revisão estatutária acaba com esta situação?
Alterando o modo de pagamento das quotas?
Acabando com as inerências?
Fazendo directas para o líder ou para os orgãos nacionais?
Abrindo o partido à sociedade?

3 comentários:

O Reformista disse...

1.Eliminando os mecanismos preversos de que se socorrem e retirando-lhes os poderes que os movem.

N´o reformista mais uma proposta concreta para esse objectivo (desta vez sobre quotas e militantes fantasmas).

A dificuldade não estará tanto na possibilidade de encontrar boas soluções estatutárias mas sim em as fazer aprovar. E aqui é preciso a junção de todas as boas vontades.

Joaquim Pinto disse...

Sem dúvida que o “aparelhismo” é um “ismo” preocupante, seja em que partido for. No PSD é-o igualmente. Manter-se à “tona” é importante para aqueles que encontram na política uma saída profissional, incomparavelmente mais atraente do que a sua capacidade técnica e/ou profissional lhe permite. Aqui reside o busílis da questão, que, na minha opinião, não é assim tão complicada de diagnosticar quanto isso….. no fundo, não posso deixar de admitir que é uma questão de carácter. Logo, é claramente difícil de resolver!

Em relação à revisão estatutária do PSD admito que concordo com a discussão, ainda que lamente que não haja tempo para ela ser alargada a todo as estruturas do partido. Não estou a ver as concelhias, na ressaca de três eleições, a disponibilizar muitos recursos para esta questão….não há paciência!!! Mas deveria haver, pelo menos tempo para ganhar paciência. Aliás, acho claramente redutora a discussão em torno das directas….uma revisão estatutária, será (espero eu!!) muito mais do que isso…..a ver vamos!

Ruvasa disse...

Viva!

"Como é que uma revisão estatutária acaba com esta situação?"

Aí a questão e o respectivo busílis. Tudo o resto não passa do folclore habitual, para gozo dos adversários.

Temos estado a somar brilharete sobre brilharete, a caminho do apagamento final.

De qualquer modo, sou pelas directas. Anteontem...

Cumprimentos

Ruben Valle santos

http://blasfemias.net/