quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2006

Os politiqueiros

O desemprego em Portugal atingiu o máximo de 8%.
Hoje ouvi as vozes da esquerda comunista, bloquista e sindical a atribuir culpas ao défice e a reclamar a alteração de políticas.
Concordo, mas num sentido absolutamente ao contrário.
Há que mudar de política, sim, mas diminuindo a despesa pública, já que esta que vem deixando nas empresas e nos particulares cada vez menos do rendimento aí gerado.
O Estado vem-se apropriando abusivamente de uma parte considerável da riqueza produzida, impedindo o investimento produtivo e de modernização e, consequentemente, o desenvolvimento económico e a criação de emprego.
Também ouvi as vozes da esquerda socialista dizer que é preciso tempo para se poder beneficiar das medidas tomadas.
É verdade!...
Mas também foi essa mesma esquerda socialista a primeira a vituperar com violência as medidas que a Drª Manuela Ferreira Leite queria tomar, e tomou algumas, no governo de Durão Barroso!...
Tivesse o PS uma atitude de estado, apoiando essas medidas, que agora está a pôr em prática, e elas estariam a fazer efeito, para regozijo do governo socialista e, sobretudo, dos portugueses.
Esta evidência comprova as causas da "desgraça" que actualmente nos atinge: a falta de estadistas e a sobra de muitos politiqueiros!...

3 comentários:

Menino Mau disse...

começo por saudar o "barato" pinho cardão que já há algum tempo não postava.
no resto concordo em tudo especialmente a afirmação "Tivesse o PS uma atitude de estado, apoiando essas medidas, que agora está a pôr em prática, e elas estariam a fazer efeito, para regozijo do governo socialista e, sobretudo, dos portugueses.
Esta evidência comprova as causas da "desgraça" que actualmente nos atinge: a falta de estadistas e a sobra de muitos politiqueiros!... "
pensandoreflectindo.blogspot.com

Suzana Toscano disse...

Tem toda a razão, essa distinção é essencial. Embora creia que, em geral, distingue-se bem!

Virus disse...

É bom ver que todos os economistas/gestores com um cérebro multicelular se apercebem daquilo que eu ando a dizer por todo o lado (inclusivé neste blog) já vai para mais de um cinco anos (bom...aí já não neste blog).

Mas os "básicos" da economia/gestão dizem que não, não é nada disso, eu não estou a ver "the big picture"... pois não, como eles o vêem não tenho interesse em ver, porque daí nada vem de positivo para o país e para o crescimento económico.

As últimas novidades em sede de IRS apresentadas pelo Ministro das Finanças parecem-me ser um pequenito e timido passo no sentido certo, ao reduzir drásticamente as taxas de IRS, mas espero para ver em concreto as novas tabelas, e para ver se a sua aplicação é de facto benéfica para a maioria dos portugueses.

http://blasfemias.net/