Número total de visualizações de página

sábado, 12 de julho de 2008

Enfim, sempre o estigma da falta de educação...

Não resisto a trazer aqui este “postal social”. Desculpem a matéria, mas as ilustrações são suficientemente sérias para justificar o dispêndio de algum do nosso precioso tempo.
O objectivo é “a defesa e a protecção da imagem urbana, ambiental e da qualidade de vida da população”. No próximo dia 16 de Julho entra em vigor no Concelho de Almada um novo regulamento municipal que proíbe e multa quem urinar na via pública ou em espaços públicos, deitar lixo para o chão, lançar objectos para as sarjetas ou remexer nos resíduos dos contentores do lixo. Quem for apanhado a praticar tais actos na via pública pode pagar uma multa que pode variar entre os 40 e os 200 euros. Será suficientemente dissuasor? O montante da coima será definido em cada caso concreto “em função da gravidade da infracção, da culpa e da situação económica do infractor e do benefício retirado da prática do ilícito”. É justo que assim seja! Se um desgraçado está em grandes dificuldades e não encontra à mão uma casa de banho pública para aliviar a sua aflição, pois não se pode levar a mal que descarregue junto a uma árvore.
Numa atitude pedagógica e educativa, a Câmara Municipal irá, segundo a notícia que li, promover acções de divulgação e sensibilização junto dos cidadãos antes de entrar em acção e de multar em flagrante delito os cidadãos desprevenidos que sujam a via pública.
Este regulamento municipal é um excelente retrato da encruzilhada do “desenvolvimento” em que nos encontramos. Refiro-me ao desenvolvimento cívico, não aos progressos das grandes superfícies comerciais ou das telecomunicações. Nada de confusões!
Não deixando de ser um problema para levar a sério, não deixa também de ser anedótico que nos tempos que correm seja necessário legislar para punir quem deita uma lata de cerveja para o chão ou rega de forma imprópria um qualquer arbusto!

5 comentários:

Tiago Moreira Ramalho disse...

Infelizmente, quando a nossa consciência não é suficiente, é necessário legislar.

E a legislação não é errada, apenas porque aquilo que legisla é algo que não se deve fazer apenas porque não. Por exemplo, matar é algo que não se deve fazer simplesmente porque é errado. No entanto, como algumas pessoas não compreendem isso, têm de ser castigadas. É mais ou menos o que se passa na situação. Obviamente, a maior parte das pessoas não comete tais "infracções" mas como algumas cometem, têm de ser punidas.

jotaC disse...

De facto, até parecem extemporâneas tais medidas punitivas por comportamentos que, “pensamos nós”, já deveriam estar erradicados da sociedade portuguesa...
No entanto, das vezes que fui a Almada nunca vi ninguém a levantar a perna num poste!

Freire de Andrade disse...

Na minha ingenuidade, pensava que tudo isso já era proibido à escala nacional, apesar de diariamente ver montes de lixo no chão assim que saio de casa numa rua de Lisboa.

antoniodasiscas disse...

Cara Margarida
Esta é inacreditável! Então a do líquido orgânico, é de gritos, de apitos e de pulos de corça.
Sempre tive esperança que depois do 25 barra quatro, houvesse programas de educação cívica a passar na televisão, ao serviço do povo. Era a abertura de espírito, tão amachucado como estava depois da ditadura. Mas, qual, quê? E mais, da parte da Câmara, sempre se vão fazendo umas receitazitas que dão sempre jeito a um município como Almada.E olha, e se a moda pega?

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

O que é confrangedor Caro Tiago Moreira é a falta de consciência cívica em relação a aspectos tão fundamentais. É lamentável que seja necessário legislar.
Caro jotaC é realmente incrível!
Temos que investir muito na educação e na formação das pessoas. Este é o caminho Caro Freire Andrade.
"Então a do líquido orgânico, é de gritos, de apitos e de pulos de corça". Caro antoniodasiscas mas que graça esta sua exclamação!