Número total de visualizações de página

sexta-feira, 11 de julho de 2008

O estado da Nação II: a Nação de baixa


A Segurança Social vai enviar a Tribunal um médico de Viseu, por ter passado, num ano, dois mil atestados de baixa. Acho perfeitamente intolerável tal atitude, incompreensível e contraproducente, sobretudo num tempo de enorme especialização. Um médico especializado em baixas dá enorme segurança, porque sabe tudo sobre esse segmento de saúde. O seu olho clínico, experiente e certeiro, observa a postura do candidato, analisa a descrição dos males, silencia as contradições, descobre as manhas, analisa os truques, distingue as queixas, perscruta a verdade e a mentira, esquadrinha o paciente, devassa o físico, ausculta, apalpa, diagnostica e passa a baixa, quando se justifica.
Num país normal, um médico especialista em baixas é um tesouro precioso. Em Portugal, onde o profissionalismo não conta, entrega-se a especialidade a clínicos sem qualquer formação na matéria, indefesos perante as ofensivas malévolas dos doentes e mandam-se os especialistas para Tribunal.
A Nação está, ela mesma, a precisar de baixa. E, a propósito, se o Juiz precisa de uma baixa, vai recorrer a quem?

4 comentários:

Tonibler disse...

Só se pode acusar o homem de ter desperdiçado 2 mil baixas. Podíamos usá-lo no ministério da educação! Ele entrava pela 5 de Outubro, nos dias pares, começava a distribuir atestados e, aos poucos, o país ia notando o crescimento económico daí resultante.
Nos dias ímpares, dava formação a outros médicos que lançaríamos nas outras áreas da administração pública.
Isto é mais um exemplo claro de desaproveitamento de talentos.

Suzana Toscano disse...

Aí está um médico com alta produtividade, se admitirmos que não passava as baixas a todos os doentes que via, ou que não o procuravam só para isso, 2000 num ano não é nada mau!

jotaC disse...

É caso para dizer: coitado do senhor...era um moiro de trabalho e vai a tribunal!?
:)

lusitânea disse...

Não sei qual a função do médico mas uma média de 4 atestados diários...
Mas cheira-me que a coisa é por ser em Viseu
Se fosse na Quinta da Fonte isso seria perfeitamente natural e justificável.Branco sofre...