Número total de visualizações de página

quarta-feira, 16 de julho de 2008

PIB: antepenúltima revisão em baixa...

Foi ontem anunciada uma “substancial” revisão em baixa do crescimento do PIB para o corrente ano, agora da autoria do BdeP.

De degrau em degrau, o PIB lá vai descendo:

- 2,2%, na previsão inicial do Governo base para apresentação da proposta de OE/2008;

- 2,0% (e de 2,3% para 2009...) previsão do BdeP no Inverno, não alterada até agora;

- 1,5%, primeira revisão em baixa do Governo, anunciada há pouco mais de um mês

- 1,2%, nesta revisão do BdeP (que o então “pessimista” FMI tinha avançado já em Abril...)

A grande questão que neste momento se pode colocar – e só ouvi uma jornalista a levanta-la, Graça Franco, uma das mais lúcidas comentadoras destes assuntos que conheço, políticos nem um – é a de saber se esta será a última revisão em baixa do crescimento para 2008 – quanto ao de 2009 nem vale a pena tratar agora, é exercício de pura adivinhação tamanhas são as incertezas.

Para responder a esta questão, importa atentar no considerando que precede a apresentação do novo quadro de previsões do BdeP:
“ Esta projecção encontra-se rodeada por níveis de incerteza particularmente elevados e apresenta riscos descendentes significativos sobre a actividade económica ASSOCIADOS, no essencial, à duração e magnitude da turbulência nos mercados financeiros.....”.

Este considerando, redigido na linguagem arredondada e não comprometedora que vem caracterizando estas previsões, tem para mim a seguinte interpretação: preparem-se para novas revisões em baixa, lá para o Outono e o Inverno.
Seria politicamente pouco agradável o BdeP emitir agora uma previsão que fosse considerada arrasadora e que desmentisse, de forma “cruel”, a previsão há tão pouco tempo anunciada pelo Governo.
Nesta coisa de previsão económica em Portugal, também estamos a ser tratados como bebés: remédio às colherinhas, para não ficarmos com uma sensação de enjoo muito forte...
Lá para Dezembro, o PIB já nem chegará a 1% (se é que...) mas, nessa altura, com mais duas colherinhas “no papo” não sofreremos tanto o impacto da notícia...

Por estas e por outras é que vamos de mal a pior...

7 comentários:

Zuricher disse...

Caro Tavares Moreira, lamento muito mas o BdP está errado, tal como meu caro blogger o está.

O governo decretou que o crescimento seria de 2,2% portanto será de 2,2%. A inflacção de 1,9% (era este o valor, não era?) portanto será. E serão esses os valores referentes a 2008 que se terão em conta no OE para 2009 porque estão decretados!

Decretou-se, está decretado, contra ventos, tempestades, petroleos, matérias-primas, investimentos ou seja lá o que for. 2,2% e 1,9%!

Tavares Moreira disse...

Caro Zuricher,

Está cheio de razão, na observação que faz, o Governo e o BdeP já nem respeitam a legislação em vigor é o que daqui se pode concluir...
O Estado de Direito passeia-se mesmo pelas ruas da amargura, de braço dado com a economia!

Tonibler disse...

O Governador do BoP desce a previsão atendendo, segundo ele, que podemos estar perante a maiores crise desde a 2ª guerra. O que atesta bem da solidez da nossa economia, onde a maior das crises tem este impacto na previsão.Como um bloco massiço.
Claro que algumas más poderão apontar que as previsões do BoP é que são massiças ou, pior, que essa característica rochosa vem de quem faz a previsão. Mas isso são as más línguas dos Velhos do Restelo do costume.

Tavares Moreira disse...

Caro Tonibler,

Essa evocação histórica, da 2ª Conflagração Mundial, sugere que a economia portuguesa se poderá ainda organizar segundo o modelo das Linhas de Torres, para uma mais eficaz defesa do PIB, do emprego, dos preços, etc.
Ou então, como alternativa, adoptar a formação em quadrado, da inesquecível batalha de Aljubarrota e do génio estratégico de D. Nuno Alvares Pereira que permitiu escorraçar o exercito de D. João de Castela, apesar da grande superioridade deste.
O inimigo a abater hoje já não seriam os velhos exércitos a cavalo, com seus troms, mas sim a fera da Globalização e, provavelmente tb, as hordas dos neo-liberais e do BCE que querem sugar a nossa economia até ao último centimo de dívida!

Tonibler disse...

"massiça"????? A escrever assim ainda me fazem ministro...irra!...

joao disse...

Caro Tavares Moreira

O BCE e a Comissão são a Santa Sé e o Papado.
Deram-nos a Bula e os trocos

Cumprimentos
João

Tavares Moreira disse...

Caro João,

E nós ficamos felizes, até fizemos uma grande festa, gastamos os trocos e fingimos (?) não perceber as regras da Bula...