Número total de visualizações de página

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Os caminhos da justiça ou as ruas da amargura...


O 'Expresso' desta semana volta ao caso Maddie. Mais exactamente ao caso em que se transformou a investigação. Porque do drama de Maddie já ninguém se lembra e não há interesse em falar, pois já não é assunto que venda jornal ou publicidade nas televisões. Já deu, para esse efeito, o que tinha a dar.

Pelos vistos no jornal existe quem já leu o relatório da PJ. Como sempre adiantam-se os media à justiça, designadamente ao Ministério Público. O jornal prepara-se assim para ser ele em primeira mão a anunciar que o inglês Robert Murat foi constituído arguido e considerado suspeito - e publicamente condenado, pois é esse o efeito imediato - sem que a polícia tivesse nada de concreto para o incriminar. O mesmo se terá passado com os pais da criança, segundo o mesmo ´Expresso´.

A ser esta a verdade confessada no relatório entregue ao MP, não se trata de um simples flop da investigação. A ser verdade, é um atentado gravíssimo pelo menos ao direito ao bom nome dos envolvidos, perpretado sem se perceber com que benefício para a investigação (já que o estatuto de arguido garante maior defesa e, teoricamente, torna mais dificil a acção dos investigadores).

Já que o desaparecimento da criança parece não ter solução na justiça, pelo menos que não se acrescente a injustiça de deixar este outro atentado impune.

E já agora. Se de Maddie, do seu eventual sofrimento, ninguém fala, muito menos se fala do sofrimento das mais de 100 crianças que em cada ano desaparecem. Dos horrores por que passam pais e familiares. Não, isso só emociona se for parte do enredo da telenovela das 9...

Eis o verdadeiro estado da Nação...

3 comentários:

Pinho Cardão disse...

é verdade, caro Ferreira de Almeida.
Não gosto de generalizar, mas é impossível não bradar perante providências cautelares meses sem serem julgadas, sentenças sem ser dadas, alimentos tradicionais deitados ao lixo pela ASAE, respostas a exames consideradas certas pelo critério do GAVE, quandos os correctores dizem que revelam a mais profunda ignorância,desprezo pelos cidadãos, quando se sonega os custos dos projectos, etc, etc, etc. Estamos num vale-tudo desesperado.

Zuricher disse...

Caro Pinho Cardão, pego no seu "vale-tudo desesperado". Estamos a viver tempos de fim de festa um pouco por todo o mundo ocidental. Já houve tempos de semelhante desvario em décadas passadas, já...

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Caro José Mário
Caso Maddie? Já deu para o "peditório"! O caso Maddie deu uma bela telenovela, com a vantagem adicional sobre as novelas ficcionais televisivas, de oferecer aos espectadores um drama verídico, com personagens autênticas, envolvendo "polícias e ladrões", em directo 24 horas ao dia. Há melhor?
Tenho a convicção de que tudo isto prejudicou a investigação. Fica-me a amarga dúvida se tudo foi feito para "recuperar" a Maddie.