Número total de visualizações de página

quarta-feira, 16 de março de 2011

A desfocada visão do Secretário de Estado

O Secretário de Estado do Tesouro atribuiu a subida das taxas de juro ao facto do PSD recusar aceitar o PEC IV.
Penso que o Secretário de Estado é curto de vistas e não tem capacidade de análise.
É que o PSD aceitou o PEC I, o PEC II e o PEC III e as taxas de juro foram subindo sempre.
A culpa tem sido sempre toda, e só, do PSD.
Pobre Secretário de Estado, com visão tão desfocada. Só agora viu que a culpa é do PSD!...

4 comentários:

Eduardo F. disse...

O adjectivo costapínico já ganhou foros de cidadania pelo que espero, em próxima edição do Dicionário da Academia das Ciências, que venha a ser formal e devidamente consagrado.

Anónimo disse...

É burro, que é que se há-de fazer?
Não é o único naquele grupo...

Paulo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anthrax disse...

Ok, deixem-me lá ver se já consegui compreender...

Temos o PPC, o PEC, o PEC I, o PEC II, o PEC III, o PEC IV.

Tradução:

PPC - Pagamento por conta;
PEC - Pagamento Especial por conta;
PEC I - Plano de Estabilidade e Crescimento I;
PEC II - Plano de Estabilidade e Crescimento II;
PEC III - Plano de Estabilidade e Crescimento III;
PEC IV - Plano de Estabilidade e Crescimento IV.

Ou seja, pessoas colectivas e/ou singulares, são - neste momento - linhas de financiamento do Estado Português. Somos micro-instituições de financeiras... que giro, nunca tinha pensado nesta perspectiva. Será que temos alguma vantagem nisso?