Número total de visualizações de página

domingo, 27 de março de 2011

Super-Sócrates...

... a quem o País tanto deve.
Cada vez que o ouvimos falar, fica sempre a ideia de que está a resolver os problemas e que até encontrou solução para a crise.
Que grande herói!
Infelizmente, o que a realidade nos mostra é que de discurso em discurso, orçamento após orçamento, mês após mês, PEC após PEC, a situação se vai degradando, o cinto vai-se apertando e as contas vão piorando.
A diferença entre a ficção da narrativa de Sócrates e a mais pura aldrabice é cada vez mais ténue.

4 comentários:

jlbdias disse...

Esperemos que o esclarecido e informado eleitorado português dê a "quem o País tanto deve", oportunidade de corrigir as trapalhadas governativas dos últimos seis anos... Estamos feitos!
Cumprimentos.

Freire de Andrade disse...

Não concordo absolutamente com a sua conclusão: "A diferença entre a ficção da narrativa de Sócrates e a mais pura aldrabice é cada vez mais ténue." Não há pura e simplesmente diferença, nem sequer ténue.

Anthrax disse...

Temos um fogão com 2 placas e acendemos uma delas. A placa aquece e colocamos-lhe a mão em cima. Dizemos "Au! Isto queima". No entanto, pouco convencidos que foi a placa que nos queimou a mão, damos-lhe mais uma oportunidade e voltamos a colocar lá a mãozinha. Dizemos: "Figo! Isto queima mesmo!". Se à 3ª vez lá colocarmos a mãozita, ou temos um problema neuro-psiquiátrico, ou temos um QI inferior a 15, ou somos masoquistas.

De resto, também sou da opinião do Freire de Andrade. Não há diferença.

Anthrax disse...

Anexo à mensagem anterior:

Dr. VC... eu também já li o PEC IV (ainda hoje estou para saber o que é que me passou pela cabeça para fazer tamanho disparate)e confesso que fiquei impressionada.