Número total de visualizações de página

terça-feira, 19 de maio de 2009

A blogotúlia teve a concorrência do Prof. Adriano Moreira...

... mas a preocupação foi a mesma, pensar Portugal pensando a Europa.
Os valores são o eixo da roda, diz o Prof. Adriano Moreira hoje, no Prós e Contras. A roda vai andando mas o eixo, que a sustenta, não muda de posição. Falou também na gravidade de se ter quebrado a confiança no sistema de justiça, a confiança nos políticos, a confiança nas instituições. E que o sistema democrático é criado precisamente para garantir que a confiança existe, baseada na separação de poderes, no limite dos mandatos, no sufrágio eleitoral como forma de confirmação, ou não, da confiança em quem governa. Logo, a quebra generalizada da confiança leva a desconfiar da eficácia da organização democrática que a tal conduziu.
Já ouvimos isto tudo? É verdade, mas dito e explicado por ele, recusando entrar em tricas e episódios, insistindo em pensar sobre as coisas, apercebemo-nos da dimensão dos males de que nos queixamos. Nós, mas também a Europa...

3 comentários:

Bartolomeu disse...

A minha opinião relativamente à posição do eixo que sustenta e direcciona a roda, é substancialmente diferente. A roda vai, efectiva e surpreendentemente girando, mas o eixo a que o caro Professor Adriano Moreira se refere, não pára de alterar o "rumo", por vezes de uma forma tão abrupta, que nos dá a sensação que a "carroagem" se irá despistar, capotar, despenhar-se pelo abísmo. Se o eixo se mantivesse assim estável, mesmo que no rumo errado, saberíamos qual a correcção precisa a dar-lhe. Porém, o "reboliço" e a imprecisão são de tal forma constantes que o país parece mais um cata-vento em meio de um vendaval.
A solução!?
Volto a repetir (a contra-gosto, pois detesto repetições) urge a ascensão de uma 4ª República... «Longe da anarquia mansa que nos tolhe»!!!

jotaC disse...

De facto, já ouvimos o mesmo vezes sem conta. Agora é-nos dito e explicado de uma outra forma, pode ser que assim o impacto seja mais sentido por todos, e em especial, por aqueles que têm de alguma forma o poder de criar o antídoto para os tais males que nos imobilizam...

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Suzana
O Professor Adriano Moreira, que é sempre um privilégio ouvir falar, tem muita razão quando diz que a quebra de confiança é a principal causa da crise. Não poderia estar mais de acordo.
A questão complicada é saber como repor a confiança perdida. Diz o Professor Adriano Moreira que a solução passa por informar, informar as pessoas sobre os problemas e os graves desafios. Tem muita razão!