Número total de visualizações de página

sábado, 9 de maio de 2009

Portugal dá "cartas" na investigação do cancro...

Com o anúncio da criação daquele que é o primeiro centro mundial - Centro Champalimaud de Investigação e Tratamento de Metástases - dedicado exclusivamente à prevenção, investigação e tratamento de metástases, a Fundação Champalimaud consolida os seus objectivos de ajudar, através da investigação nas ciências médicas, a mitigar o sofrimento humano e a aliviar o fardo da doença e do seu impacto na sociedade.
A originalidade do projecto baseia-se no facto de se fazer uma abordagem directa das questões do cancro através das metástases, um “problema que é uma preocupação central” no combate à doença. Leonor Beleza lembra que “o estudo clínico que se faz sobre o cancro é claramente deficitário na Europa e há mesmo recomendações da Comissão Europeia no sentido de que as instituições científicas invistam mais no estudo da doença”.
Esta iniciativa de grande alcance encerra a grandeza da decisão de ajudar a resolver o terrível sofrimento de milhões de pessoas que padecem de cancro e do reconhecimento da importância do aprofundamento da ligação entre a medicina e a saúde e da necessidade de fortalecer a ponte entre a descoberta científica e a vida.
O Centro Champalimaud de Investigação e Tratamento de Metástases é mais um legado, a juntar ao maior prémio consagrado a nível mundial no campo da visão promovido pela Fundação Champalimaud, que honra o extraordinário gesto do Homem António Champalimaud materializado numa doação de 500 milhões de euros à causa da investigação médica científica em benefício das pessoas.
Parabéns à Direcção da Fundação Champalimaud e, em particular, à sua presidente Leonor Beleza. Obrigada por mais este horizonte de esperança…

2 comentários:

Suzana Toscano disse...

Um trabalho fantástico bem à altura do legado do seu fundador, quem sabe se não será daqui que virá o avanço decisivo que há tantos anos se aguarda no combate ao cancro? Há boas razões para confiar nesta instituição.

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Suzana
E li, também, que o Centro vai assegurar trezentos tratamentos oncológicos por dia!