Número total de visualizações de página

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Previsões certeiras

Na conferência que fez hoje no Estoril, no âmbito das Conferências do Estoril subordinadas ao tema “Desafios Globais, respostas Locais”, Stiglitz contou que há 40 anos alguém perguntou ao economista Kenneth Galbraigh quando voltaria a haver um crise financeira tão grave quanto a de 1929. Ele respondeu que isso aconteceria quando tivessem passado 15 anos sobre a eleição do primeiro presidente americano que tivesse nascido depois da Depressão…

2 comentários:

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Suzana
Assisti à conferência que Joseph Stiglitz deu ontem ao final da tarde na Fundação Gulbenkian. Stiglitz está desiludido em relação à gestão da crise e céptico quanto aos resultados.
Do seu ponto de vista haveria que alterar a cultura de governação das instituições financeiras - dando poder efectivo e responsabilizando os accionistas e restringindo o poder dos executivos - e adoptar uma verdadeira cultura de regulação, acabando com a máxima "too big to fail" que foi também responsável pelo desastre do sistema financeiro americano.
Enfim, encontrei no Prémio Nobel uma perspectiva pouco animadora sobre um futuro melhor...

Suzana Toscano disse...

Sim, também me pareceu muito pouco confiante nas medidas que têm sido adoptadas que considerou "tardias, más e pouco acompanhadas" na sua execução. Vaticinou que a crise não vai passar tão depressa e que todas as intervenções públicas, triliões de dólares, têm como objectivo repor padrões de consumo e estilos de vida que conduziram ao que hoje vivemos. Ou seja, não vão resultar...