Número total de visualizações de página

domingo, 17 de maio de 2009

Cinquentenário do Cristo Rei


O Santuário do Cristo Rei comemora este fim de semana o seu cinquentenário. As cerimónias começaram no sábado de manhã, com a peregrinação a Lisboa e Almada da imagem de Nossa Senhora do Rosário de Fátima entronizada na Capelinha das Aparições, tal como aconteceu em 17 de Maio de 1956.
Depois da celebração da Missa, na Praça do Comércio, a Imagem de Nossa Senhora saiu num navio da Armada, na Doca da Marinha, para Almada, atravessando o Rio Tejo rodeado de dezenas de embarcações de todos os tipos, barcos à vela, botes, e barcos de recreio, numa imagem lindíssima e emocionante, que uniu as duas margens do rio sob os braços abertos do Cristo Rei.
As cerimónias continuam hoje, domingo, em Almada, com a Celebração presidida pelo Cardeal Saraiva Martins, Enviado Especial do Papa Bento XVI.

6 comentários:

Pinho Cardão disse...

Cara Suzana:
Fez muito bem em recordar o acontecimento. Independentemente de crenças ou de convicções religiosas ou políticas,ou até de ideias estéticas, o Monumento ao Cristo-Rei simboliza uma iniciativa que teve o apoio amplo e indesmentível da população portuguesa, que se quotizou para o financiar, sendo assim uma obra de muitos, ou mesmo de quase todos.

Tonibler disse...

Como o estádio da Luz...

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Suzana
Ainda bem que lembrou as comemorações do Cristo Rei. Uma obra extraordinária que se tornou possível graças à devoção dos portugueses. Tenho o privilégio de poder admirar de minha casa o Cristo Rei, lá bem alto do outro lado do rio...

Bartolomeu disse...

Hacinquenta anos, a estátua erigida em honra dofilho de Deus, simbolizava ou pretendia, simbolizar um abraço protector à cidade capital do país. Passados cinquenta anos, quem olhar a estátua do Cristo Rei, julga que Ele está a dirigir-se indignado e inquisidor a António Costa, perguntando-lhe, é nisto que estás a transformar a minha cidade!? e alongando um pouco mais o olhar até S. Bento, pergunta a Sócrates... até onde pensas que te vou deixar afundar este país!?

Tavares Moreira disse...

Foi tudo muito belo, Suzana.
Tenho todavia a noção de que o Santuário do Cristo Rei não pode ter uma expressão evangélica semelhante à do Santuário de Fátima - falta-lhe a dimensão sobrenatural genética deste, que explica a atracção de multidões imensas desde há mais de 90 anos.
E mesmo agora foi Fátima que atraiu uma multidão a Almada...
Mas ainda bem, até deu para ver como a margem sul não é o deserto que um certo iluminado há tempos sentenciava...

Suzana Toscano disse...

Sim, foi a imagem de Nossa Senhora de Fátima que atraiu multidões, e foi ela que foi referida pela generalidade dos que se juntaram na procissão. Mas também acredito que se recuperou um pouco a "alma" do Cristo Rei e que os lisboetas vão voltar a olhar para a estátua como o símbolo de uma obra colectiva, erguida pela gratidão e pela Fé de um povo.
Caro Tonibler, o povo manifesta a sua fé em muitas coisas e de formas sempre muito expressivas :)