Número total de visualizações de página

sábado, 16 de maio de 2009

Que horror!

É assustador pensar no clima em que se vive, ou melhor se sobrevive, num país em que 98% dos crimes cometidos não resultam em qualquer condenação. A Guatemala é um desses “paraísos”.
Seria, contudo, difícil de imaginar que uma pessoa que viria a ser assassinada tivesse um tão dramático “sangue frio” para se constituir ela própria sua testemunha de defesa e, simultaneamente, testemunha de acusação daqueles que ordenaram o serviço. Isto mesmo fez um advogado da Guatemala – Rodrigo Rosenberg Manzano – através de um vídeo difundido no site do elPeriódico, algumas horas após ter sido assassinado. Sentado em frente à câmara o Advogado diz que se as pessoas o estão a ver é porque a essa hora está morto. E estava mesmo.
Ao ver tudo isto questiono-me porque é que o Advogado, temendo pela sua vida, não fugiu ou porque é que não pediu protecção e auxílio. Porque não se defendeu? Porque teria que viver os seus últimos dias de vida tão tragicamente no medo de uma condenação anunciada?

3 comentários:

antoniodosanzóis disse...

Cara Margarida
Mais um caso que nos deixa estarrecidos face à violência e à selvagaria que representa. Resta uma pergunta: para onde é que tudo isto caminha? para uma nova ordem em que os valores e os referenciais básicos das sociedades vão sendo postos, defitivamente, em causa?
Deus se apiede e se compadeça de nós.

Suzana Toscano disse...

Terrível, este video e a história que conta, a história de um homem que foi derrotado pela violência, que temeu não ser capaz de se defender, e que não desistiu de lutar pela liberdade, mesmo depois de vencido, denunciando os assassinos quando eles já não lhe podiam fazer mal. Não sabemos, Margarida, o que ele lutou em vida, mas podemos ver que se dispôs a tudo, que previu e agiu até ao limite das suas forças.Será duas vezes vencido se nada acontecer aos que o mataram...

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Caro antoniodosanzóis
A maldade do mundo está cada vez mais sofisticada. Uma desgraça!
Suzana
Uma história verdadeiramente macabra, muito injusta para um homem que lutou para derrotar a violência e acabaria nas mãos desta!