Número total de visualizações de página

terça-feira, 12 de maio de 2009

Espanha e IRC

Ainda hoje, aqui ao lado, em Espanha, no debate do Estado da Nação, o Primeiro-Ministro Zapatero, anunciou a descida no imposto sobre sociedades (equivalente ao “nosso” IRC) para pequenas e médias empresas e para trabalhadores independentes, em cinco pointos percentuais, como medida para evitar a destruição de emprego.

Em Portugal, medidas fiscais continuam proscritas…

Certamente porque “fariam perder receita”…

E depois admirem-se que Espanha vá recuperar mais rapidamente da crise do que o nosso país (que, por razões internas, não sairá dela)…

Nunca aprendemos mesmo a lição…

7 comentários:

Manuel Brás disse...

A pornografia fiscal
come todos os tostões,
esta mentalidade sem igual
feita de vergonhosas gestões.

Vendem-se ilusões
com políticas emaranhadas,
fazendo-se alusões
com palavras mal amanhadas!

O mundo das aparências,
alimentado pelos socialistas,
tem profundas incoerências
e políticas miserabilistas!

Os mexilhões informados
ficam mais prevenidos,
contra socialistas deformados
e moralmente empedernidos.

Manuel Brás disse...

Para completar as anteriores quadras:

O monstro engrandece
nas mãos dos socialistas,
este (des)Governo padece
de políticas irrealistas.

Tonibler disse...

Em Portugal, tal medida teria efeitos contraproducentes, porque quem paga IRC é que tem que pagar por ser fornecedor do estado ou viver em mancebia com os interesses partidários. As empresas que interessam, já hoje só pagam IRC se quiserem.

Miguel Frasquilho disse...

Caro Tonibler,

Isso sucede porque o nosso sistema fiscal não é simplificado de forma a comater mais facilmente a fraude e a fuga... Com uma taxa mis baixa e com muito poucas deduçõe e isenções, seria difícil que quem devesse pagar deixasse de o fazer...

Mas eu, por mim, continuarei a "pregar no deserto"!... :-)

Tonibler disse...

Caro Miguel,

Nesse caso, para fazermos como os espanhóis, há que aumentar os impostos para haver mais fuga ainda para baixar o imposto cobrado de facto e baixar o valor do serviço ao estado. Parece-me que sim, vai mesmo pregar deserto...

Agitador disse...

Uma precisão Caro Tonibler:

as empresas que interessam pagam sempre IRC, nem que seja por razões de credibilidade

Tonibler disse...

Não estou a falar do IRC "deixa cá pagar alguma coisa para o palerma das finanças não me vir chatear a cabeça". Não é esse que está em causa.