Número total de visualizações de página

quarta-feira, 27 de maio de 2009

O genial Vital

Vital tem ideias: agora propôs um novo imposto. Não sabe bem o quê, e pormenores só quando for eleito. Mas o importante é mesmo criar mais um imposto. Criar impostos é, aliás, a coisa mais natural para um socialista que se preze!...
Genial, Vital afirma “querer sublinhar a necessidade de aumentar os recursos”, ao mesmo tempo que diz que o novo imposto “não tem nada a ver com aumentar a carga fiscal”!...
Isto é, um imposto que aumenta os recursos de quem o cobra, sem aumentar o esforço de quem o paga!...
E andam estes gajos, à solta, em plena via pública!...

15 comentários:

jotaC disse...

É...e depois acha estranho levar uns calduços, umas cuspidelas...
:)

Bartolomeu disse...

Genial, sem dúvida. Percebe-se que se o candidato do PS afirma que a medida "não significa aumentar os impostos nacionais", só pode estar a pensar trazer para o nosso orçamento os "dividendos" dos impostos da UE. Homem inteligente!!!
É o resultado que dá quando os candidatos discurssam em Aquæ Flaviæ, depois de umas “fatias maiores” do belo presuntinho e de umas copanázias do nectariano Arcossó.
Se fossem beber água ao Tâmega...

Tonibler disse...

Deviam inventar um parlamento intercontinental para onde se poderiam eleger as pessoas certas. Podia ficar sediado na Ilha de Zanzibar e os mandatos podiam ser de 20 anos.
É que, mesmo assim, Estrasburgo é muito próximo e quatro anos sem Vital Moreira é quase como um pastel de nata, é bom mas é pequeno.

Pézinhos N' Areia disse...

Caro Dr. Pinho Cardão já o twittei, assim como o Caro Professor Salvador M. Cardoso.

O Caro professor também já me twittou.

Agora só falta o Senhor ...:-)))
Fico á espera.
Se quizer, claro.




então e .... os Caros Tonibler, Bartolomeu e JoctaC .... (ainda) não twittam ?
Experimentem ... porque vão adorar twittar.



:-)))


estou aqui:

https://twitter.com/pezinhosnareia

Bartolomeu disse...

:(
Não me consigo registar...
o meu nome já foi tomado por alguem

Manuel Brás disse...

Tantas ideias surrealistas
em tons de rosa embaladas,
de razões miserabilistas
e fiscalmente esfareladas.

Em pleno estado de soltura
pelas ruas da amaritude,
vilipendia-se a cultura
ameaçando a quietude.

(c) maioria silenciosa: P.A.S. disse...

NASCER, VIVER E MORRER COM O DINHEIRO E O ESFORÇO DOS OUTROS
Em nome do Socialismo moderno e quando já se confunde solução com criação, a verdade desponta como as cerejas! Para este coerente socialista, dos actos e factos, 20% de pobres é insuficiente, há que afogar rapidamente em impostos a classe média e adicioná-la aos 20%.
«Questionado sobre se esta proposta garante o não aumento da carga fiscal dos portugueses, Almeida Santos respondeu: «Não garante nada. Garante a solução de problemas que sem isso não têm solução»

Fartinho da Silva disse...

É o socialismo!

Suzana Toscano disse...

Pareceu-me ouvir que é mais uma inovadora modalidade de taxa robin dos bosques e que também pode assumir a forma de "transferência de receitas" nacionais para a UE. Em qualquer caso, a criatividade consiste em fazer omoletas sem ovos.

Pinho Cardão disse...

Cara Suzana:
Não! Não há criatividade alguma!...
Ele quer que lhe demos os ovos para fazer as omoletes que ele quer!...

JM Ferreira de Almeida disse...

Não, meu caro Pinho Cardão, quer as omoletas já feitas!

Paulo disse...

Meus Caros,

Vital prepara o que aí vem...

São aqueles momentos que precedem a trovoada, quando olhamos com espanto para o movimento rápido das nuvens cinzentas perfumado a húmus.

Cumprimentos,
Paulo

Freire de Andrade disse...

Vital Moreira, ao expor a ideia de aumentar os fundos financeiros da União Europeia por meio de um novo imposto europeu, quis fazer crer que esse aumento em nada agravaria as finanças dos contribuintes europeus. Mas, se não há almoços grátis, também não há impostos grátis. Os dois modos de obter esse dinheiro referidos pelo candidato cabeça de lista do PS de modo displicente e à guisa de exemplo não convencem.
Se se criar um novo imposto sobre as transacções financeiras da Europa, dando a impressão que os contribuintes individuais nada sofrem com esse novo imposto, é claro que essas transacções ficarão mais caras. Não se cria dinheiro do nada. Vital Moreira não explicou que transacções seriam essas sobre as quais recairia o novo imposto, mas sejam transferências de particulares, pagamentos a empresas ou mesmo apenas operações bancárias, é inevitável que o custo recaia no final sobre o cidadão europeu. Pensará ele que se pode aplicar a máxima "Os ricos que paguem a crise"? Só os ricos fazem transacções taxáveis?
Se a solução for a outra, substituição de um imposto ou parte de um imposto nacional pelo imposto europeu, de modo a que o contribuinte não pague mais, então o aumento dos recursos financeiros europeus será feito à custa de uma diminuição dos recursos nacionais. Em primeiro lugar, a hipótese de aumento das contribuições nacionais já foi longamente discutida (como lembrou Edite Estrela, sem daí tirar consequências) e não foi possível chegar a acordo. Em segundo lugar, essa hipótese contraria a afirmação recente de Sócrates de que não será possível diminuir os impostos.
Uma falácia, portanto.
Desconfio que Sócrates não gostou de ouvir a sugestão do seu candidato.

Fernando Branco disse...

Já não tenho a menor dúvida que nas hostes socialistas se começam a fazer sentir os efeitos secundários do amido...

http:\\plocking.wordpress.com

JM Ferreira de Almeida disse...

Piadola fácil sobre o tiro no pé que constitui esta tirada do candidato. Creio que esta proposta significa a assinatura do TESTAMENTO VITAL...