Número total de visualizações de página

sábado, 15 de setembro de 2012

Afundações!...

Congratulemo-nos! Pelos vistos, Mário Soares pode continuar a dormir descansado, mais descansado ainda. A sua Fundação pessoal vai continuar a ser alimentada por dinheiro público. Não perdendo o respectivo estatuto (a perda só abrange instituições no âmbito da administração central ou das autarquias locais ou das regiões autónomas), continuará calmamente a receber 70% do que recebia.
Assim, está bem. Dinheiro público para objectivos privados. De um privado. Transparente. Toda a gente compreende. E Mário Soares, nesta matéria, melhor que ninguém!...
Nota: O DN de hoje, 14 de Setembro, confirma que o "corte" na Fundação Mário Soares foi de 30%. Não foi possível o link.

16 comentários:

(c) P.A.S. Pedro Almeida Sande disse...

Uma indecência que não abona o actual governo e faz-nos crer que só um novo e regenerado sistema político poderá dar ética e decência a um país há muito governado por gangs.
Espero vê-lo hoje na manifestação pela decência caro PC!

Carlos Monteiro disse...

Espero que agora compreendam a questão da baixa da TSU paga pelos trabalhadores.

Tonibler disse...

Caro Pinho Cardão,

Quando o Cavaco acabar o seu golpe de estado, o corte à fundação Mário Soares vai ser de 100%. Pelo menos no que a euros diz respeito. E às outras fundações todas também. E, vendo a coisa pela positiva, o acervo da fundação sobre a descolonização até pode vir a ficar com o dobro do material.

Pinho Cardão disse...

Caro Tonibler:
Misterioso...ou talvez não!...

Ilustre Mandatário do Réu disse...

Caro Pinho Cardão,

Depois do corte que provavelmente Mário $oare$ sofrerá na reforma, há que ter compaixão e preservar um mínimo a sua fundação.

Sobretudo o Centro de Investigação e Formação para uma Cultura da Paz. Nos tempos conturbados que correm, seguindo o exemplos dos artigos de Mário Soares nos media, o ditoso Centro de Investigação certamente exercerá um grande contributo para a Paz Social na República. Grande$ e$tadi$ta$ da fibra do muitas vezes Doutor Honoris Causa são fundamentais.

É pena que este corte implique um atraso nos planos de criação de um Observatório da Fundação. Mas depois de observada a contenção do presente será retomada a visão observacional da fundação e seu fundador com apoio da Fundação Champalimaud.

Cumprimentos, IMdR

JM Ferreira de Almeida disse...

Na situação atual exigia-se a suspensão de todo o apoio púbico a quaisquer fundações cujo escopo fundacional não fosse de natureza assistencial. Um cêntimo que seja para organizações do tipo da FMS é ultrajante para quem com rendimentos baixos tem de sacrificar parte deles com a justificação de que é necessário equilibrar as finanças publicas.

joão carlos disse...

por essa e por outras é que as pessoas protestam

Bmonteiro disse...

Contra-corrente.
Lamentando a redução de 30% da Fundação Sexa Vaidade Soares.
Vá lá, que não veio a público, qq redução nas três brigadas de PSP/GNR, de guarda ás três propriedades de Sexa Vaidade Mário.
O feudalismo da 3ª República.
Haja respeito, pelo autor do
«desapareça sr Guarda».
A bem do Regime.

Francisco disse...

E para quando retirarem a Dra. Ferreira Leite da vossa lista de convidados, depois da tristissima e antipatriotica intervenção da Sra. na TV.
Francisco Albino, Oeiras

Suzana Toscano disse...

Caro francisco Albino, também retira da sua lista de convidados os seus amigos que exprimem opiniões fundadas, ainda que possam ser diferentes das suas? aqui no 4r não fazemos isso, sejam as opiniões concordantes ou discordantes, para isso mesmo abrimos este espaço e temo-nos dado muito bem, como sabe, como nosso comentador de há muito tempo. Esperemos que continue a sentir-se bem por cá, agora com a vantagem de poder também conversar com os nossos convidados.

UmZeroà Esquerda disse...

O espiritozinho inquisitorial é uma coisa muito arreigada na nossa idiossincrasia como povo, não haja dúvidas.
Sempre gostámos da unanimidade, se não a conseguimos negociar que alguém a imponha.
50 anos de balbúrdia monárquico-liberal, mais 16 de anarquismo governativo, mais outros 50 de ditadura totalitária é muito «background».
Tendo a senhora apresentado as suas ideias da forma mais clara e fundamentada possível, tratando-se de uma não ignorante na matéria, tendo nós o confronto com a realidade (a prova dos nove das medidas cegas que só atingem uns sem piedade, por sinal os mais fracos, e outros levemente, por sinal aos mais poderosos, e sem resultados à vista na diminuição do défice e da dívida, antes pelo contrário), mesmo assim recomenda-se-lhe um adesivo na boca.
Portugal no seu melhor… ou no seu pior.

Francisco disse...

Poderei ter exagerado no que escrevi ao pedir a retirada da Dra. Fereira Leite do vosso blog. Também não me identifico com esses métodos. As minhas desculpas por isso.

Mas a Dra. Ferreira Leite:
1 - mentiu por exemplo ao dizer que ninguém percebia ou apoiava a "medida" da TSU (a AIP e a CTP já tinham anunciado publicamemnte o seu apoio - Jornal de Negócios).
2 - argumentou violentamente contra o aumento da austeridade. Ela como ex-MF não sabe que não há alternativa, neste momento, para a austeridade? Ela sabe bem, e por isso eu chamo a isso desonestidade intelectual, mais do que política.
3 - A promoção, pelo menos indirecta, que ela fez das manifestações de ontem "contra a troika, contra a austeridade"... A Dra. FL revê-se nisso? Se o FMI for embora que salários e pensões recebemos daqui a um mês?
3 - Ela não percebe de onde "nasceu" a medida que ela apresentou como muito estranha, que ninguém consegue perceber, que foi obra de um acto de fé? Claro que sabe que tudo surgiu por causa do Tribunal Constitucional. Era e é preciso cortar e manter cortados os 2 salários à FP, mas o TC não o permitiu, argumentando com a "falta de equidade". Ora, para manter o corte necessário nos 2 salários da FP (para reduzir a despesas pública - também são cortes na despesa pública), sem ofender o TC, foi preciso criar uma punção equivalente embora parcial sobre os rendimentos do trabalho dos privados. Uma conta simples: 7% * 14 meses = 98% ou quase igual a 100%. Foi essa a forma que o governo teve que encontrar para retirar um salario àos privados, para manter a (falsa, uma vez que nunca existiu)"equidade". E chamou-lhe TSU. Mas para não agravar a carga tributária sobre a economia reduziu em valor equivalente (1,25 pp menos) a contribuição patronal. É claro que parece que o governo tirou aos trabalhadores para dar aos patrões, mas não foi esse o raciocínio. Mas foi explorado politicamente como tal e a Dra. Ferreira Leite também cavalgou essa onda. É claro que ao baixar a TSU para as empresas está-se a promover a competitividade externa - uma das pouquissimas saídas que Portugal pode ter. Mas a nossa Constituição quer lá saber de questões de competitividade se continua a afirmar que estamos "a caminho do socialismo"!
O governo errou porque foi demasiado brando com o Tribunal Constitucional, pois devia ter sido claro a explicar porque foi obrigado a tomar esta medida.
E já agora com o Presidente da República, que foi quem verdadeiramente começou toda esta polémica.
Para sermos claros, em minha opinião, este novo "imposto" não deveria chamar-se TSU mas sim TTC (taxa Tribunal Constitucional) pois é a eles que devemos agradecer todo este imbróglio.
E a Dra. FL não sabe disto?!...Sabe muito bem, mas fez-se de distraída.
Por isso, embora sabendo que ela foi muito importamnte para o país em certos momentos, perdi o respeito que tinha por ela.
Obrigado.
Francisco Albino

Tonibler disse...

Caro Francisco Albino,

Temos que ver as coisas pela positiva. Graças à Dra. MFL a redução da despesa pública pode passar a ser de 100% em muito pouco tempo.

Ilustre Mandatário do Réu disse...

Caro Francisco Albino,

O juízo apressado e com poucos dados é má companhia. MFL não me convenceu, mas daí a saltar para as suas conclusões é muito arrojado.

Não tenho a mínima dúvida que MFL deu a entrevista por entender ser seu dever patriótico.

Fica o desafio de MFL se explicar melhor neste blogue!

Cumprimentos, IMdR

Suzana Toscano disse...

Podem ler a entrevista oa jornal i de 6ª feira dia 14, a ler sempre se tem tempo para reflectir melhor, estou certa de que o caro Francisco não deixará de querer interpretar devidamente o que foi dito. E, francamente, acho que isso de "mentiras" e de "vinganças" não cola com MFL, mesmo que seja mais fácil arrumar o asunto dessa maneira.Depois queixem-se de que não há quem queira meter-se na política...

Margarida disse...

Tá tudo certo. Só seria de estranhar se o ser politico Passos deixasse de alimentar a fundação do ser politico Mário Soares. ISso é que seria uma incongruencia.

Essas gorduras são as correctas o que estão mal são os salários. 500€ é um sálario muito elevado, há que lhe dar uma machadada de mais 7%. Aliás o assessor António Borges, o que ganha muito acima de 500€, assessorou o Passinhos nesse sentido. Não o ouvi dizer nada acerca destas gorduras. Há que manter os jobs for de boys. Não há almoços à borla. Se se recorda o Dr. Mário Soares, andou por aí a defender o Passinhos,da sua honestidade etc e tal, por isso está tudo correcto.