Número total de visualizações de página

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Objectivo de vida

O Deputado Rui Barreto teve o seu momento de glória. Foi filmado, entrevistado, botou opinião, tornou-se visível por umas horas, uns dias, talvez umas semanas. 
O tempo está para estas atitudes, de comprometimento, que levam ao poder, de descomprometimento, que levam à fugaz glória mediática. Objectivo e modo de vida de muitos. 

8 comentários:

Bartolomeu disse...

Dizem que ali, é a famosa "Casa da Democracia", será que deixou de o ser?!

Massano Cardoso disse...

Às vezes penso que sim. Compreendo a disciplina de voto desde que a ideia em causa se enquadre dentro da linha de pensamento que se escolheu, mas, isso não significa que tenhamos de aceitar tudo o que vem de "cima". Às vezes o que vem de "cima" é fruto de uma ou de algum número reduzido de pessoas que querem transformar numa onda, onda que não "pode" ser contestada pelos correligionários, o que é uma chatice! Debate interno? Pois! Deveria haver, mas o efeito de grupo construído sob certas orientações impede isso. Recordo-me de alguns episódios que me causaram certos engulhos e pude ver que "fazer" democracia é muito mas complicado do que parece, não basta ser-se democrata, é preciso muita paciência, determinação, coragem, desprendimento, ser capaz de afrontar quando for caso disso e depois ser corrido! Pelo menos ficamos desde logo com esse destino traçado. Uma certeza absoluta, Bartolomeu.

Bartolomeu disse...

"Somos a memória que temos e a responsabilidade que assumimos.
Sem memória não existimos, sem responsabilidade talvez não mereçamos existir"
Frase de José Saramago.

Carlos Sério disse...

Não fica bem julgar os outros com esta ligeireza.

Pinho Cardão disse...

Caro Carlos Sério:
Não há julgamento de ninguém; há crítica de atitudes, o que é bem diferente.
Ninguém é obrigado a inscrever-se num partido e a ser deputado; mas, depois de o ser, e sobretudo na matéria em questão, a atitude correcta é respeitar a disciplina da instituição ou, em alternativa, pedir a demissão.
Porque, em matéria de votação do Orçamento, não há nenhum partido que não obrigue os seus deputados à disciplina de voto. E todos sabem isso muito bem.
É um entrave à representatividade? Será. Mas entrave assumido aquando da candidatura. Tem que se ser consequente.

Ze Muacho disse...

Por acaso ainda alguém se recorda dos programas com que o CDS e o PSD se apresentaram às eleições?

E,p.f., não venham com o argumento de que a situação se modificou; os líderes dos dois partidos afirmaram conhecer muito bem a situação do país e das medidas a adoptar, sendo uma delas o não agravamento da situação fiscal.

Quem foi eleito nesta condições pode aprovar este orçamento?

Joao Jardine disse...

Caro Pinho Cardão

A atitude do deputado Barreto não foi um objectivo de vida mas uma necessidade de vida.
O ganha pão do deputado Barreto e do CDS Madeira está em cima da mesa.
Não evitando a avaliação, explica o comportamento.
Cumprimentos
joão

Carlos Monteiro disse...

Caro Pinho Cardão,

No momento em que se vê um político com desprendimento pelo estatuto, votar em consciência com os seus principios, o meu caro diz que isso foi motivado pela vontade de ter os 15 minutos de fama?

Não se percebe...

Cumprimentos