Número total de visualizações de página

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Tanto trabalho para nada!...

Hoje foi de manifestações: em Belém, na Marginal, em S. Julião da Barra, no Camões, no Porto, eu sei lá. 
Foi ver a RTP e a RDP, serviço público, num enorme afã de noticiar, promover, entrevistar, enquadrar, promover, entrevistar, focar tudo o que mexesse no meio manifestante. 
Ah, nos intervalos deste processo de encher chouriços, pareceu-me ouvir que esteve cá a Senhora Merkel. 
Mas logo alguém contextualizou que as manifestações eram o assunto do dia, e a visita da Srª Merkel uma terceira ou quarta derivada. E eu que desconfiava que a RTP e a RDP fossem estações objectivas e isentas!... 
Pois se além de promover os acontecimentos, até os explica e contextualiza de forma rigorosa!... 
Ah, parece que afinal a Srª Merkel entrou, deslocou-se e saiu sem problemas. 
Tanto trabalho para nada!

12 comentários:

Floribundus disse...

a Senhora deu uma facadas nas oposições.
o PM aproveitou e esfaqueou a comunicação social.
a sic e a tvi não parecia as mesmas e muito menos o zarolho metelo

Tonibler disse...

Há uma filmagem fantástica em Belém quando as barreiras são deitadas abaixo em que só se vê fotógrafos a passar...

Pinho Cardão disse...

E então que dizer daquele tom épico do repórter quando assinala, em tempo real, que elementos mais aguerridos e audazes da manifestação avançam, decididos a derrubar as barreiras?

Freire de Andrade disse...

Não foram só as TVs nacionais a dar mais importância às pequenas manifestações do que à visita em si. A Euronews noticiou "Merkel foi recebida pelos portugueses com protestos e pelo Governo com elogios". "Pelos portugueses"? Só por alguns, muito poucos até. A Al Jazeera, apesar de no seu sítio na net ter uma notícia desenvolvida com excertos dos discursos e tudo, no roda-pé que acompanhou o noticiário no seu canal também deu relevo especial aos protestos: "Protesters in Portugal rally against visit os german chacellor Angela Merkel in opposition to spending cuts and taxes rises."

Tonibler disse...

"Nunca se deixa que a verdade estrague uma boa história"

Pedro disse...

Caro Pinho,

de facto, apesar das tentativas frustradas da comunicação social, foi muito bom.

Foi mesmo como termina o seu post:

"Tanto trabalho para nada!"

As manifestações foram pifias.

As amplificações e exageros da Noticias, tambem cairam em saco roto.

E a visita da Merkel foi excepcional e espetacular e determinante para o futuro e o presente de Portugal.

A chanceler fartou-se de contactar com os portugueses...não os das manifs, não os do governo...os reais e normais portugueses.

A chanceler reuniu-se com os reais e efectivos representantes da sociedade civil...não os sindicalistas, não os activistas, não os realizadores de videos...mas todos aqueles que responsavelmente representa a Sociedade Civil.

A chanceler tambem efectuou variadissimas reuniões de trabalho, extremamente intensas e proficuas, de onde sairam decisões de fundo para um futuro melhor.

A chanceler aproveitou ainda para visitar alguns projectos de sucesso em cursos e algumas empresas de referencia.
Embora não tenha sido noticiado, pelos malandros da CS, Merkel visitou a Fundação Champalimaud e ainda deu um saltinho ao DataCenter da PT. E ficou muito bem impressionada com o que viu.

Antes de regressar Merkel ainda aproveitou, para em sinal de apreço, efectuar uma contribuição solidária, a titulo pessoal, para o Banco Alimentar, e reconheceu sentidamente a importancia de todo o trabalho desenvolvido pela instituição.


De facto, foi um dia marcante para a História de Portugal, que passará a fazer parte dos programas de ensino nos Liceus e escolas deste pais.


Foi isto não foi ?
Quer dizer, a Comunicação Social, tentou escamotear e dar apenas reflexo ás manifs...mas eu ainda consegui de facto perceber a imoprtancia concreta do evento.

A mim não me enganam os jornalistas!!!

jotaC disse...

É o mundo em que vivemos, o que vende são cenas canalhas de preferência com sangue à mistura. Mas felizmente os portugueses sabem distinguir as coisas e reduziram esta visita a isso mesmo -uma visita de estado. Os portugueses sabem também que a Chanceler tem uma posição importante na UE mas não não chega para resolver os seus problemas.
Bem!...mote para notícia até houve, os comentadores podiam muito bem especular sobre o significado da falta do beijinho da Sra.Merkel ao PM, mesmo sendo uma visita de estado ficava bem, Rajoy fez isso em Espanha...
Ui! isto bem trabalhado enchia as vistas...
:)

alberico.lopes disse...

O que mais me "perplexou"foi uma reportagem feita na RTPI,por dois afoitos repórteres,enquanto esperavam pela vinda da sra.Chanceler,aliás repetidamente daqueles dois palhaços ambulantes que se apresentam nos ecrans da televisão para gáudio de atrasados mentais, e que esses "servidores" do tal serviço público teimam em continuar a mostrar como se os fundos que recebem a partir dos nossos impostos,não devessem ser aproveitados para algo diferente do que esta triste e vil pornografia televisiva que,julgava eu,esta administração tenderia a erradicar daquela casa!Pelos vistos enganei-me!Até quando?

alberico.lopes disse...

Já que estamos a falar na TV pública,não queria também deixar de me referir a outro programa interessante que normalmente nos é brindado às 2ªs.feiras. Trata-se do Prós e Contras da excelsa Fátima Campos Ferreira!
Gostava de saber quais os critérios que presidem àquele programa que mais não é SEMPRE um comício bem montado contra tudo e qualquer coisa que este governo se proponha discutir. Os convidados "a dedo"são mesmo bem escolhidos. Ontem,então,foi demais!Convidarem para aquele púlpito o "DR"Arméni da CGTP foi o máximo!E será que ninguém pôe cobro a isto?

Bonaparte disse...


Acho graça a estes "liberais". Então, a comunicação privada não pode transmitir o seu ponto de vista? "quem paga é quem manda".São os acionistas que têm uma palavra e os compradores, claro. São as leis do mercado. Isto não é a Coreia do Norte!

JM Ferreira de Almeida disse...

Tem toda a razão meu caro Bonaparte. Não só quando se refere às empresas privadas de comunicação social, mas também quanto à empresa pública RTP. Também a esta deve ser reconhecida a liberdade editorial de noticiar o que entende que deve ser noticiado de acordo com os critérios que livremente elege. É assim numa liberal-democracia. Porém, o direito a livremente determinar o que cada um exprime deve também ser reconhecido ao consumidor das privadas e ao contribuinte da pública para escrutinar e criticar o que lhe fornecem. Para discordar ou censurar, comentar ou se indignar. Que não o impressione o post pois é manifestação da essência da democracia que, como sabe, é liberal por natureza e definição.
Só que este liberalismo está muito longe, meu caro, da Coreia do Norte cuja evocação ou é um excesso seu - aceitável neste tipo de comentários -, ou, no que não creio, revela inteiro desconhecimento de que nesse País o meu Amigo dificilmente lhe consentiriam que fizesse o comentário que fez (desde logo porque este blogue de "liberais" como nos apelida, nunca poderia ver a luz do dia:)


Pedro disse...

já agora:

13.11.2012

“A RTP foi galardoada pela Eurovisão com o prémio de excelência de informação (…)”

http://www.rtp.pt/icmblogs/rtp/comunicacao/?RTP-DISTINGUIDA-PELA-EUROVISAO.rtp&post=42291